CIÊNCIA E TECNOLOGIA

31/12/2017 as 11:43

Por que a ciência curou só uma pessoa do HIV?

Uma cura pode não estar tão próxima, mas, pela primeira vez, está começando a surgir no horizonte.

Foto: (zmescience)<?php echo $paginatitulo ?>

Em 2007, um jovem americano vivendo em Berlim se tornou uma maravilha moderna da medicina quando, 12 anos depois de ser diagnosticado com HIV, viu o vírus de repente desaparecer de seu corpo. Timothy Ray Brown havia sido diagnosticado com leucemia e recebeu um tratamento de transplante de célula-tronco para tratar a condição. Acontece que seu doador de célula-tronco tinha uma mutação genética rara conhecida como CCR5-delta 32, que deu a Brown resistência à sua infecção por HIV. Brown ficou conhecido como "o paciente de Berlim". Dez anos depois, ele ainda é a única pessoa a ter sido curada do HIV.

Apesar de avanços incríveis na biomedicina, uma verdadeira cura para o HIV segue fora de alcance. Drogas antirretrovirais transformaram o HIV em uma condição manejável em vez de uma sentença de morte. Mas o HIV se integra permanentemente no genoma de uma célula infectada e então se esconde, dormente, no corpo, tornando quase impossível sua erradicação. Desde a década de 1980, pesquisadores têm tido esperança de que a terapia genética, na qual o material genético do corpo é alterado, possa oferecer uma nova rota no tratamento do HIV e talvez até uma cura. O caso de Brown deixou muitos no campo otimistas, mas os cientistas ainda estão perplexos em relação a como sua cura funcionou.




Tópicos Recentes