ALÔ TV!

05/03/2017 as 15:53

Centenário da Revolução russa de 1917 repercute no Brasil literário

Para comemorar o evento que definiu boa parte do século XX, a editora Boitempo lança uma coleção de livros dedicados à Revolução russa de 1917

Agência Sputnik
Foto: © Sputnik<?php echo $paginatitulo ?>

Para comemorar o evento que definiu boa parte do século XX, a editora Boitempo lança uma coleção de livros dedicados à Revolução russa de 1917.
Talvez valha dizer que houve duas revoluções: a de Fevereiro e a de Outubro. A Revolução de Fevereiro foi, em um sentido, a precursora da que foi depois chamada de Grande Revolução de Outubro. Esta segunda fez, posteriormente, com que muitas coisas na Rússia fossem chamadas com o nome do mês, verdadeiro xodó da União Soviética.

A editora-chefe da Boitempo concedeu um comentário exclusivo à Sputnik Brasil descrevendo assim o objetivo do projeto editorial: 

"Muito já se escreveu sobre estes eventos e o balanço de seus erros e acertos está longe de se consolidar. Quase três décadas após o fim do regime socialista na União Soviética, talvez já seja possível ter um olhar mais objetivo sobre o tema."

Uma atenção especial é prestada à influência cultural, e não somente à política, da Revolução Russa.

"Realizada num país atrasado, em meio a um conflito de largas proporções — a I Guerra Mundial — e em um momento em que o capitalismo monopolista assumia um vigor inusitado, a Revolução de 1917 produziu reflexos em inúmeras áreas do conhecimento. Não há praticamente domínio da cultura que tenha ficado imune a seus impulsos.

Arquitetura, música, artes plásticas, artes cênicas, fotografia, cinema, publicidade, entre outros, foram tocados de forma indelével pelo formidável movimento de massas desencadeado naquele país. Os livros e antologias que serão publicados ao longo de 2017 procuram abarcar, de forma multidisciplinar, alguns dos acontecimentos complexos que afetaram a vida de milhões de pessoas. Se com isso pudermos despertar a curiosidade para um estudo mais aprofundado sobre assunto tão vasto, nossos objetivos terão sido plenamente alcançados", sublinha Junkings. 

O mês de março, no qual se celebra o Dia das Mulheres, acolherá um dos lançamentos mais discutidos e esperados deste ano: "A revolução das mulheres — emancipação feminina na Rússia Soviética". O livro (que, entre outros escritos feministas, contém também obras de Aleksandra Kollontai, primeira embaixadora da União Soviética) foi preparado por uma equipe completamente feminina, chefiada pela tradutora e especialista em cultura e literatura russa Graziela Schneider.

Além disso, a editora prepara vários títulos sobre Vladimir Lenin (inclusive "O Estado e a revolução", pelo próprio líder da Revolução de Outubro) e sobre vários assuntos da revolução, por exemplo, "Arte e cultura na Revolução Russa", coletânea organizada por Bruno Gomide, da Universidade de São Paulo (USP).




Tópicos Recentes