Sexta, 21 de julho de 2017
18/05/2017 às 22:36:15
Codevasf participa de debate sobre crise hídrica na bacia do São Francisco

A presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Kênia Marcelino, participou nesta quinta-feira (18) da mesa de discussões “A Crise Hídrica na Bacia do São Francisco”, durante a programação da XXXII Plenária Ordinária do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), que ocorre em Recife (PE) até sexta-feira (19).

Kênia Marcelino expôs aos participantes da Plenária o trabalho desenvolvido pela Codevasf para lidar com o cenário de agravamento da escassez hídrica e indicou as providências que estão sendo adotadas para suporte aos projetos públicos de irrigação mantidos pela empresa na bacia do São Francisco. De acordo com a presidente da Codevasf, mais de R$ 35 milhões foram investidos somente em 2015 na instalação de sistemas de bombeamento flutuante – que permitem a captação de água para os projetos de irrigação mesmo com a redução da vazão do rio São Francisco – e em ações de desassoreamento.

“Os projetos públicos de irrigação da Codevasf estão sendo continuamente equipados com infraestrutura para captação nesse contexto de redução dos níveis da água ao longo do rio São Francisco e na barragem de Sobradinho”, afirma Kênia Marcelino. Ela destaca que intervenções são necessárias não apenas para garantir irrigação e travessia, mas principalmente abastecimento humano.

“Existem agrovilas dentro dos projetos de irrigação que utilizam, para abastecimento humano, a água bombeada para irrigação. Além disso, populações que vivem nas adjacências dos projetos necessitam igualmente dessas fontes de abastecimento”, diz. Os projetos públicos de irrigação da Companhia estão localizados nos estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas.

Com o objetivo de assegurar o abastecimento humano em diversos pontos da bacia hidrográfica, a Codevasf tem realizado diagnósticos e mapeado a necessidade de intervenções como desassoreamentos, perfuração de poços e ajustes em sistemas de captação. A atuação da Companhia na bacia do São Francisco cobre mais de 600 mil km², onde vivem cerca de 18 milhões de pessoas.

Entre as intervenções de segurança hídrica empreendidas pela Codevasf nos últimos anos na bacia, Kênia Marcelino indicou em sua participação no evento a conclusão de 319 Sistemas de Abastecimento de Água (SAA), que beneficiam 280 mil pessoas e que são resultado do investimento de mais de R$ 333 milhões. No âmbito do programa Água para Todos, a Companhia atendeu outras 900 mil pessoas com a implantação de 186 mil cisternas, 606 barreiros, 41 SAA e 835 poços – o investimento desde 2012 nessas intervenções foi de R$ 1,17 bilhão.

Em ações de revitalização hidroambiental como esgotamento sanitário e tratamento de resíduos sólidos a empresa investiu desde 2007 mais de R$ 2,2 bilhões. “Nós já concluímos mais de 90 sistemas de esgotamento sanitários ao longo da bacia do rio São Francisco. Um deles foi o Sistema de Esgotamento Sanitário de Lagoa da Prata, em Minas Gerais, resultado de parceria entre a prefeitura e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE)”, destacou Kênia Marcelino.

Também participaram da mesa “A Crise Hídrica na Bacia do São Francisco” representantes do CBHSF, da Agência Nacional de Águas (ANA), do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério da Integração Nacional (MI).