Sexta, 20 de outubro de 2017
11/10/2017 às 15:48:33
Livro detalha chacina na ditadura em operação feita por agente duplo

O ex-militar José Anselmo dos Santos, mais conhecido como cabo Anselmo, foi o mais célebre agente duplo a serviço da ditadura militar no Brasil (1964-1985), tendo delatado centenas de pessoas durante o período. Seis dessas pessoas morreram em um sítio do Grande Recife, em uma das chacinas mais emblemáticas do regime, em 1973.

O caso é detalhado no livro "O Massacre da Granja São Bento" (Companhia Editora de Pernambuco), do jornalista Luiz Felipe Campos, que será lançado às 19h de segunda-feira (16), na Tapera Taperá, no centro de São Paulo.

A chacina teve ampla repercussão à época, e jornais de todo o país noticiaram que os quatro homens e as duas mulheres mortos com 32 tiros eram "perigosos terroristas" da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), uma organização que se dedicava à luta contra a ditadura. As mortes teriam ocorrido em um tiroteio com a polícia.

Entre vítimas estava a paraguaia Soledad Barrett Viedma, mulher do próprio Anselmo. Também morreram a tcheca Pauline Reichstul, o baiano Eudaldo Gomes, o gaúcho Evaldo Ferreira e os pernambucanos Jarbas Marques e José Manoel da Silva.

Narrado como um romance de não ficção, o livro conta como a chacina foi o último capítulo de uma longa operação policial iniciada em 1971, em Santiago do Chile, e executada por Anselmo e pelo delegado Sérgio Fleury, que ganhou fama como torturador da ditadura.

Além do autor, participa de um bate-papo no lançamento do livro a jornalista e mestranda em Teoria Literária pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Priscilla Campos.

Lançamento: Livro "O Massacre da Granja São Bento"

Quando: 16 de outubro, às 19h

Onde: Tapera Taperá - Av. São Luís, 187, 2º andar, loja 29 - República, São Paulo/SP

Com informações da Folhapress