POLÍTICA

08/01/2018 as 18:58

Cármen Lúcia foi alertada de que havia explosivos em presídio de Aparecida de Goiânia

Por questões de segurança, a visita da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, ao presídio de Aparecida de Goiânia, teve que ser cancelada.

Foto: (Ueslei Marcelino/Reuters)<?php echo $paginatitulo ?>

Apesar da declaração do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que rebateu a informação sobre insegurança no presídio de Aparecida de Goiânia, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi desaconselhada de visitar o local por vários interlocutores.

A ministra chegou a viajar para a capital goiana e a se reunir com autoridades do estado nesta segunda-feira (8), mas não foi ao presídio . No local, ocorreram três rebeliões e nove mortes na semana passada.

A ministra, que também é presidente do CNJ, foi alertada inclusive de que havia explosivos dentro do complexo penitenciário, e que presos teriam armas de fogo e até granada. Diante das novas informações, Cármen Lúcia pediu uma nova inspeção no local.

 

 

 

 

Fonte: G1.






Tópicos Recentes