SAÚDE

13/01/2018 as 13:57

Stress tóxico: quando o escudo protetor da criança é seu próprio vilão

Há 3 tipos de stress que podem afetar as crianças e um deles é o que tem uma influência direta por parte dos pais

Foto: (DR)<?php echo $paginatitulo ?>

O stress é um conjunto de perturbações orgânicas e psíquicas provocadas por vários estímulos ou agentes agressores como o clima, uma doença, uma emoção, um choque cirúrgico, condições de vida muito ativas e trepidantes etc. Esta é a definição do comum stress, ou, mais concretamente, dos dois tipos de stress mais comuns e saudáveis: o stress positivo e o stress tolerável.

Mas há um outro tipo de stress que deve entrar nesta equação e que de saudável não tem nada. Trata-se do stress crônico, uma resposta fisiológica às adversidades que é comum às crianças.

Esta resposta tóxica, diz o site da BBC, pode estar associada à vivência de uma dificuldade intensa, frequente e prolongada – como é o caso da guerra ou conflitos sociais intensos (como acontece, por exemplo, na Síria), violência física, verbal e/ou emocional, vício em drogas por parte dos pais ou irmãos, pobreza elevada ou patologias mentais dos pais e que impedem um acompanhamento adequado do filho.

No stress crônico, tão grave como aquilo que causa esta reação orgânica é a falta de apoio adequado de um adulto. Segundo a publicação, quanto maior são os fatores causadores de stress e quanto mais intenso é o stress tóxico, maior é o risco da criança apresentar algum tipo de atraso no desenvolvimento físico e cognitivo.

Mas não só: Este tipo de stress é ainda o trampolim para alguns tipos de problemas de saúde, incluindo a depressão, obesidade e ainda infecções (pois o sistema imunológico fica desprotegido à medida que os níveis de cortisol atacam de forma frequente). Casos de stress pós-traumático e psicose podem também ser uma realidade por conta do stress tóxico.

De acordo com o Centro de Desenvolvimento da Criança da Universidade de Harvard, a exposição continuada e prolongada a um estado de stress tóxico faz com que “as ligações neurais” em áreas do cérebro “dedicadas à aprendizagem e à razão” fiquem comprometidas.

De acordo com a agência Reuters, tanto os professores como os pediatras podem ser a ‘salvação’ das crianças que são expostas a um estado de stress tóxico, porém, a falta de uma formação ou de aptidão por parte destes profissionais é fundamental para que a criança receba o que realmente necessita.

 

 

 

 

Fonte: Notícias ao Minuto.




Tópicos Recentes