SERGIPE

30/12/2017 as 19:08

Entrevista Exclusiva com o Diácono Francisco da Paróquia Bem-aventurada Dulce dos Pobres

Você já ouviu falar em irmã Dulce? Conheça o trabalho da Paróquia que leva o nome da beata. Confira a entrevista!

Foto: (Acervo Alô News)<?php echo $paginatitulo ?>

Nesta semana entrevistamos o administrador paroquial que fala sobre a importância da construção da paróquia que vai beneficiar a comunidade aracajuana com ações sociais e tornar o lugar em um centro de peregrinação. Confira a entrevista!

 

 

 

Alô -Vocês hoje estão com uma obra na igreja e que estão sendo retomadas, e na próxima terça-feira da semana que vem a Ensurb vai liberar as documentações para dar andamento a construção, como é que o senhor ver isso?

 

D.F - Eu vejo isso como muita gratidão a Deus, porque por trás de tudo isso tem a mão de Deus e da irmã Dulce porque ela sempre considerou que as obras que são feitas, em prol do povo, é obra de Deus. Estamos com essa grande obra em Aracaju, a Paróquia Bem-aventurada Dulce dos Pobres. A irmã Dulce vivia para os pobres e se doava para atender as necessidades dos mais carentes. E nos inspiramos para batizar a paróquia com seu nome.

 

Alô - Além dessas ações da construção da igreja, vocês também querem fazer dela um centro de peregrinação no nordeste é isso?

 

D.F – Exatamente, porque agente percebe isso, as pessoas vão pra lá fazer visitas e começam perguntar sobre a obra e vêm de todo lugar, tem pessoas de Maceió, Salvador, querendo conhecer o templo por causa da história da irmã Dulce. O padre Almir que administrou a Paróquia profetizou, a tempos atrás, de que a paróquia seria um centro de peregrinação e eu creio nisso, porque a irmã Dulce tem uma história de ajuda aos mais necessitados.

Também começamos desde Agosto de 2017 um culto de Ação de graças a irmã Dulce todo dia 13, pois fizemos a pergunta aos fieis da igreja se eles gostariam de que tivéssemos um culto dedicado a ela e todos decidiram que sim.

 

Alô – Francisco, a irmã Dulce já foi canonizada?

 

D.F – Não, ela só está beatificada, a canonização depende de alguns milagres, dentre vários que ela já fez, e de que já estão sendo analisados pelo Papa; ela ainda não é considerada santa porque não foi canonizada, mas para o povo ela é considerada santa irmã Dulce. Inclusive tem um milagre que aconteceu comigo, meu maxilar estava muito ao mastigar e no ano de 2015 eu fiz um pedido a ela, quando tomei posse de administrador da paróquia em 14 de Março, e em Setembro fiz um pedido a ela para ser curado, pois os médicos disseram de que eu teria que fazer uma cirurgia pra tentar amenizar, e em 3 dias fui curado e nunca mais tive os estalos e nem precisei fazer cirurgia nenhuma.

 

Alô - Quando se deu o início das obras da Paróquia aqui em Sergipe?

 

D.F – Em torno de 7 anos atrás teve o primeiro início, quando o Arcebispo Dom José Palmeira Lessa adquiriu o terreno, e construiu um galpão para as celebrações e depois me colocou lá para dar andamento na construção. As obras já estão avançadas, mas ainda falta muito para deixá-la acabada.

 

Alô – O senhor falou também que há mais ou menos um ano os trabalhos de construção foram interrompidos e paralisados, esses trabalhos retornam quando?

 

D.F – Sim, a obra recebeu um embargo da EMURB por pendências de documentações, mas já estamos com os documentos praticamente regularizados. A comunidade está ansiosa que essa liberação seja dada para a continuação da obra, e logo estaremos retomando os trabalhos.

 

Alô – O senhor tem uma previsão de quando vai finalizar essa obra de construção?

 

D.F – Não tenho uma previsão, pois não temos recursos, é uma obra grande, recebemos a ajuda da comunidade externa, precisamos de doações para deixar a obra pronta. Mas uma coisa é certa, o povo está querendo ver a obra pronta o mais breve possível, para que possamos ter no templo instalações de atendimento social e etc...

 

Alô – Na obra da irmã Dulce na Bahia, ela nunca deixou a ação social, vocês pretendem desenvolver esse mesmo trabalho de assistência social aqui em Sergipe?

 

D.F – Sim, já estamos, em um grau pequeno porque ainda não temos grandes recursos, mas já estamos fazendo e pretendemos ampliar isso para que seja merecido o nome da paróquia de irmã Dulce. Pois ela sempre teve o coração voltado ao social, ao bem das pessoas. E essa é a intenção da paróquia aqui em Aracaju. Já temos corte de cabelo, um advogado que dá assessoria jurídica, genecologistas; e queremos ampliar as ações de uma maneira que seja grandiosa em prol da necessidade do povo.

 

Alô – A igreja está localizada na zona de expansão de Aracaju, você acha que a igreja vai acompanhar o crescimento da população?

 

D.F – Nós sabemos que a cidade está crescendo e, consequentemente, haverá pessoas carentes da periferia que procuram a igreja e pessoas que vem de fora também, a nossa preocupação é atender qualquer pessoa, venha de onde vier, queremos receber todos de coração aberto; pois a preocupação de irmã Dulce foi sempre de atender as pessoas. Quando agente tem um coração voltado para o bem, para a caridade, não importa a religião, a cor, a raça etc. “Tudo quanto fizermos é pouco diante do que Deus faz por nós” dizia irmã Dulce.

 

Alô – Quais são os horários de atendimento paroquial, de missa, para que as pessoas possam conversar, e buscar o conforto espiritual?

 

D.F - Temos uma secretaria que funciona todos os dias de segunda a sábado, exceto domingo, de 7:00h às 11:00h e das 13:00h às 17:00h, e no sábado o atendimento é das 8:00 até ás 12:00h. Estamos disponíveis para atender qualquer pessoa. Temos missas todos os sábados às 17:00h e nos domingos às 8:00h. Nas quartas-feiras a oração do terço dos homens, às quintas-feiras momento de adoração ao santíssimo às 19:00h e às 19:40h temos uma celebração com distribuição da eucaristia. E na primeira sexta-feira de cada mês temos atendimento de confissões das 14:00 às 19:00h e em seguida a missa. E todo dia 13 de cada mês nós temos uma missa dedicada a irmã Dulce às 19:30, iniciando com uma pequena procissão.

 

Alô – O que a igreja, o administrador pároquial, o diácono esperam para 2018?

 

D.F – Esperamos um que seja de muitas graças não só para a comunidade de irmã Dulce, mas para o público em geral, agente espera que possamos receber graças através dela; e esperamos que as pessoas se sintam bem.

 

Alô – Qual a mensagem do administrador paroquial para 2018?

 

D.F – Que as pessoas façam o bem!

 

Alô – Qual o endereço da paróquia para quem não conhece? E como as pessoas podem ajudar ou fazer doações?

 

D.F – A igreja fica localizada no bairro Aruanda, no loteamento Aquaruis, na rua Orlando Tavares. Temos telefone para contato 3027-3111, ou o meu telefone pessoal 99198-6027, as doações podem ser feitas pelas contas:

 

Banco do Brasil

Agência: 1603-9

C/Corrente: 46.201-2

_______________________

Banco Banese

Agência: 058

C/Corrente: 03/1019007




Tópicos Recentes